Ajudar quem mais precisa

 Em 1927, um reconhecido jornalista e filantropo – João Pereira da Rosa – igualmente diretor e proprietário do prestigiado Jornal “O Século”, concretizou o sonho de proporcionar às crianças, sobretudo às menos favorecidas e oriundas do interior do país, conhecerem o Mar e a Praia, desfrutando de um salutar período de férias, partilhadas em fraternidade com outros “miúdos”.  
Assim nasceu a Colónia Balnear Infantil O Século, precisamente nas instalações de S. Pedro do Estoril e por onde passaram, ao longo de quase 90 anos, muitos milhares de crianças. 
Consequência do desaparecimento daquele histórico jornal diário, constituiu-se em 1998 a Fundação O Século (FOS), herdeira legítima da obra e dos valores legados por João Pereira da Rosa.

Um novo caminho

Tal como idealizado pelo seu mentor, a obra Social foi financiada pelas receitas geradas pela exploração da Feira Popular de Lisboa, aliás criada com esse fim específico.
Contudo, vicissitudes várias levaram ao encerramento daquele espaço de diversões por decisão unilateral da Câmara Municipal de Lisboa, a qual assumiu o compromisso de assegurar à Fundação O Século um montante anual equivalente ao que gerava a Feira e que, com base em avaliação independente, se fixou em 2,6 milhões de euros/ano.
Como é público, a Autarquia lisboeta não cumpriu o protocolo com a FOS, colocando-a numa dificílima situação económica e financeira.
Embora a Colónia de Férias continue a ser o ex-libris da FOS, a verdade é que nos últimos anos se assistiu a um crescimento expressivo da sua intervenção Social e Humanitária, que podemos sintetizar nos seguintes indicadores:

0
Valências Sociais
0
Utentes Diários
0
Crianças e Jovens em acolhimento
0
Refeições distribuídas a carenciados
0
Apartamentos de autonomização
0
Utentes de empresas de inserção
0
Serviços de apoio domiciliário

Ser Solidário

Consequência do que se referiu anteriormente, o incremento da Obra Social a par da drástica redução das receitas, vem colocando sérias dificuldades à Gestão da FOS, desdobrando-se em iniciativas para honrar todos os seus compromissos, particularmente o de servir os mais necessitados.
Nesse contexto, iniciou-se um processo de criação de empresas inseridas no conceito da chamada “Economia Social”, capazes de gerar receitas extraordinárias.
Assim se constituíram: “Turismo d’O Século” – “Lavandaria d’O Século” – “Cozinha d’O Século” (takeaway) – “Seguros d’O Século” (mediadora de seguros, em fase de início de atividade ainda em 2016).
Estas unidades de negócio estão a fazer o seu percurso de afirmação nos respetivos mercados, com reconhecida qualidade e rentabilidade, mas os seus resultados são ainda insuficientes para suprir as necessidades de Tesouraria da FOS.

Associação dos Amigos

da Fundação "O Século"

AAFOS

É no contexto desta difícil realidade que surge a AAFOS, assumindo-se como polo agregador por excelência de todos aqueles que, reconhecendo a importância da Obra Social da Fundação, a querem ajudar e valorizar.
Definido o modelo e assumido o objetivo desta Associação de AMIGOS: captar fundos que contribuam para a sustentabilidade da FOS, avançámos sustentados no lema:
"A Amizade não tem preço mas tem muitas vantagens" síntese do desiderato final de a todos fazer ganhar.
Alicerçados numa vasta e prestigiada rede de Parceiros e Promotores, em constante crescimento, enquadrados por profissionais criteriosamente selecionados, lançámos uma arrojada campanha de captação de associados – AMIGOS – entre os quais estamos certos de contar consigo!